Hospital do Sangue

Hospital do Sangue vai aumentar em até seis vezes a capacidade atual de assistência hematológica e oncohematológica do Amazonas, saiba mais.

Horário

Hemoam: Segunda a sábado, das 7h às 18h.
Maternidade Ana Braga: Segunda a sexta, das 8 às 12h30.

Agende sua Doação

Após sua segunda doação, você já pode fazer o seu agendamento. Clique aqui

Hemoam > Notícias

Hemoam adota prevenção contra coronavírus


A partir desta quinta-feira (27/02), novos critérios passaram a ser utilizados na triagem dos candidatos à doação de sangue.


PUBLICADO DIA: 27/02/2020 17:44:09 Última atualização: 07/07/2020 03:36:32 Legenda:
Créditos:

A Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Estado do Amazonas (Hemoam) passa a adotar, a partir desta quinta-feira (27/02), novas regras na triagem clínica para doação de sangue. Quem esteve em viagem por países com casos confirmados do novo coronavírus ficará impedido de doar sangue por 30 dias. A medida atende a nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após a confirmação do primeiro caso do vírus no Brasil.

 

De acordo com o diretor clínico do Hemoam e médico hematologista, Nelson Fraiji, embora não haja comprovação científica que diga que o coronavírus pode ser transmitido pelo sangue, a ação é necessária para garantir a segurança do paciente que necessita de transfusão de sangue.

 

“Nossa preocupação com qualquer virose é muito grande. Sempre que há uma epidemia viral, os bancos de sangue estabelecem critérios de rejeição temporários. Quem teve febre, independentemente de qual seja a causa, fica impedido por 30 dias. Quem está sob suspeita de outras viroses respiratórias, tais como dengue e chikungunha, fica 90 dias sem poder doar. No caso de zika, são 120 dias. Desta vez, quem viajou para países de ocorrência do coronavírus também ficará 30 dias impedido de doar sangue”, detalhou o médico.

 

Conforme a recomendação da Anvisa, os critérios de impedimento se estendem a pessoas que tiveram contato com pacientes infectados ou com suspeita da doença. Essas pessoas ficam sem poder doar sangue pelo prazo de 30 dias.


“O que nós queremos do doador é um sangue da melhor qualidade. O sangue é um produto vivo, orgânico, e vai pra uma pessoa que está doente, é como se fosse um transplante. Não podemos levar para quem não está bem de saúde o que não está em ótima qualidade, e essa é sempre a preocupação dos centros de transfusão”, completa Fraiji.


É importante assinalar que pessoas que tiveram resfriado comum ou infecção das vias respiratórias, mas sem histórico de viagem para regiões onde há casos do coronavírus ou sem contato com pessoas provenientes destas áreas, não deverão ser consideradas de risco para a infecção e ficam liberadas para a doação de sangue normalmente.

 

 






Paginação